voltar

Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Centro de Excelência Professor João Costa realiza a I Feira Costão Cultural

Por Ítalo Marcos
- 22/06/2022 15:30:00
274 acessos imprimir

Os alunos do ensino médio integral do Centro de Excelência Professor João Costa, em Aracaju, participaram na manhã desta quarta-feira, 22, da I Feira Costão Cultural. A ação é interdisciplinar e foi idealizada de maneira coletiva entre professores, equipe gestora e estudantes, e teve como objetivo trabalhar a cultura sergipana. Ao todo, 20 turmas fizeram pesquisas e apresentações sobre 20 municípios do Estado, abordando temáticas como culinária, pontos turísticos, o surgimento da cidade, personalidades, grupos folclóricos, e o que mais eles puderam achar de interessante.

 

A professora e atriz Sandy Soares, uma das idealizadoras da feira, destacou que a ação traz como grande benefício a oportunidade de os alunos se socializarem mais nesse momento pós-pandemia. “Eles vão, ao mesmo tempo, apresentar os seus trabalhos, mas também farão um rodízio e conhecerão os trabalhos dos estudantes de outras turmas. E aí acabam conhecendo também outros colegas. Nessa feira os alunos podem colocar para fora um pouco da sua criatividade, mostrar os seus talentos e estreitar o contato entre eles e também com os professores”, disse.

 

Outro fator importante foi a questão da inclusão, como explicou a coordenadora Margareth Cristóvão Ramos. “Em relação aos alunos especiais, temos vários que são autistas, e a maravilha desse projeto é que esses alunos foram realmente incluídos, tiveram falas e participação que nos deixaram bem emocionados. A proposta foi bem interessante, houve bastante engajamento e conseguimos despertar nos estudantes a questão do protagonismo, inclusive entre os alunos especiais”, declarou.

 

Feira Costão Cultural

 

Os alunos se espalharam por 20 salas de aula, cada uma responsável por mostrar um município sergipano. Ao longo dos corredores do pátio, maquetes representando as cidades podiam ser vistas. Os jovens ficaram livres para escolher qual seria o foco de sua apresentação. Uma das que chamou a atenção foi a turma que apresentou sobre Canindé do São Francisco. No interior da sala, eles fizeram uma simulação de um sítio arqueológico existente no município, com pinturas rupestres. Em um grande painel, os alunos visitantes podiam deixar a sua marca pessoal, fazendo pinturas ou escrevendo seu próprio nome. A jovem Laisa Mirelly, do 3º ano, fez parte dessa turma e disse ter adquirido muitos conhecimentos. “A gente aprendeu muito em grupo, se dedicou bastante para esse trabalho. Fizemos todas as pesquisas juntos, todo mundo unido, para concretizar esse projeto”, disse.

 

Já o aluno Danilo Emanoel, do 2º ano, estava no grupo sobre Japaratuba e disse ter gostado bastante da feira. “Foi muito bom a gente ter a oportunidade de fazer esse tipo de feira porque é um momento em que a gente consegue adentrar bastante na cultura do nosso Estado. A gente consegue se aprofundar na história da capital e dos outros municípios também, e isso nos traz um conhecimento muito rico, pois descobrimos coisas que nem sequer imaginávamos em termos de cultura”, afirmou.

 

A aluna Laisa Beatriz também compartilhou sua opinião. “A gente observou, nesses dias, a importância de um evento como esse para desenvolver a nossa criatividade, além de incentivar a união entre os alunos, bem como a questão dos estudos, de saber pesquisar e procurar as informações e a história do nosso país, da nossa região e de Sergipe, que é um estado rico em cultura. Foi um processo muito trabalhoso e que trouxe bastante união. Pesquisamos cada pedacinho de Sergipe para trazer para vocês”, declarou.

 

Todos os projetos destacaram também a culinária típica de cada município, bem como os aspectos históricos, geográficos e culturais. Pela tarde, os alunos fizeram apresentações artísticas, dentro das temáticas de cada município.