voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Disciplina eletiva “Fiu fiu não é elogio!” do Centro de Excelência Dom Luciano cresce e forma grupo de estudo sobre feminicídio

Por Ascom/ Seduc
- 12/06/2019 13:06:00
506 acessos imprimir

Próxima palestra acontecerá no dia 19 de junho, no centro de excelência

 

A disciplina eletiva denominada “Fiu fiu não é elogio, cara!”, protagonizada por alunos do Centro de Excelência Dom Luciano, em Aracaju, ganhou uma nova ação: tornou-se também um ciclo de palestras que visa trabalhar a violência contra a mulher a partir da sensibilização no ambiente escolar.

 

Com o subtema “Do machismo ao feminismo; das cavernas ao feminicídio”, o professor orientador Fabiano Oliveira montou uma equipe de alunos dos 2º anos do Ensino Médio Integral que pretendem abordar a temática através das “palestrinhas” nas escolas da rede estadual de ensino. “As escolas públicas estarão na agenda da equipe que pretende, ao longo do ano, abordar outros temas presentes na escola e na sociedade, como, por exemplo, violência dentro da escola, depredação de patrimônio público e depressão. Para esse primeiro momento, os palestrinhas produziram um vídeo que traça o perfil do feminicida, geralmente conquistador, mas violento. O objetivo do vídeo é alertar para indícios que estão sempre presentes nesses perfis masculinos”, afirma Fabiano Oliveira.

 

O projeto visa sensibilizar para não chegar aos extremos feminicidas, através de palestras e oficinas.  A ideia surgiu de alunos que viram a necessidade de a disciplina ganhar novos rumos devido à importância do tema e partir para outras escolas. O grupo formado por Flávia Alessandra, Alanes da Silva, Larissa Queiroz, Weslaine Monteiro, Jennifer Santos e Diogo Martins pretende divulgar o trabalho em diversas escolas de Aracaju, conscientizando alunos que não têm noção da gravidade do problema.

 

As palestrinhas e os palestrinhas

 

O ponto de partida é abordar nas escolas a questão da violência contra a mulher através de dinâmicas, discursos e atividades que colocam os alunos em situação de conflito para que tomem decisões éticas. Encorajar a mulher a denunciar é um dos pilares do ciclo de palestras da “Fiu fiu não é elogio”.  A ideia é desenvolver dentro desse processo habilidades linguísticas, gosto pela leitura, desenvoltura ao falar em público e, principalmente, replicar o projeto para outros palestrinhas.

 

As apresentações esclarecem conceitos como machismo tóxico, femismo, feminismo, feminicídio e visam combater o machismo dentro das escolas e na sociedade. Como objeto de trabalho, os palestrinhas – denominação do grupo de alunos –  pretendem mostrar músicas que divulgam o preconceito e a violência contra o sexo feminino, índices de mortes no Brasil e no mundo, bem como histórias de superação. 

 

“A equipe vem estudando as leis do feminicídio e terá contato com advogados da área para ampliar conhecimentos.  Como parte do projeto, propagandas, textos, relatos e entrevistas serão divulgados nas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso aos números reais desse problema social”, explica Fabiano Oliveira.

 

De aluno para aluno

 

Durante as palestras e oficinas, os palestrinhas ficarão frente a frente com alunos de suas idades e isso fortalecerá o diálogo. Os alunos pretendem acompanhar o professor Fabiano Oliveira durante as apresentações do espetáculo “O Enem, o sonho & você”.  Algumas apresentações já estão agendadas, a exemplo da que acontecerá em 5 de Julho, no Ginásio do SESI, em Aracaju, além de uma nova palestra no dia 19 de junho, no Dom Luciano.