voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Escolas de ensino médio integral da Rede Estadual aumentam em 47,5% aprovação de alunos em cursos de nível superior

Por Lucas Silva
- 06/02/2019 16:08:00
394 acessos imprimir

177 alunos dos quatro Centros de Excelência que ofertaram a 3ª série do ensino médio em tempo integral em 2018 asseguraram ingresso em cursos de graduação em instituições públicas e particulares de ensino superior, 57 a mais que no ano anterior

 

A ampliação do modelo de Educação Integral em escolas de ensino médio da Rede Estadual de Ensino, feita gradativamente pelo Governo de Sergipe a partir de 2017, tem se mostrado uma política exitosa para a melhoria da qualidade do ensino público e os resultados de aprovação dos alunos que cursaram a última etapa da educação básica nessa modalidade de ensino comprovam essa assertiva.

Considerando apenas os estudantes que cursaram todo ensino médio nos Centros de Excelência “Atheneu Sergipense”, “Vitória de Santa Maria” e “Professora Maria Ivanda de Carvalho Nascimento”, em Aracaju, e no “Manoel Messias Feitosa”, em Nossa Senhora da Glória - escolas que já ofertam todas as séries do ensino médio em tempo integral -, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) verifica, até o momento, 177 aprovações desses alunos em instituições públicas e particulares de ensino superior, um salto de 47,5% em relação ao número de aprovações registradas em 2018. Os números tendem a crescer com outras chamadas do Sisu e ProUni.

No Atheneu Sergipense, destaca o secretário estadual da Educação, professor Josué Modesto, quase 60% dos alunos que concluíram o ensino médio em 2018 já asseguraram vagas em cursos de graduação de nível superior, tanto em instituições públicas - na primeira chamada do Sisu (Sistema Unificado de Seleção) 2019, com base nas notas obtidas no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2018 -, quanto em instituições privadas de ensino superior.

“Mas o percentual de aprovações dos alunos das escolas de tempo integral tende a crescer com as próximas chamadas do Sisu”, frisa a coordenadora do Núcleo Gestor de Educação em Tempo Integral da Seduc, professora Mônica Rodrigues, que atribui os resultados positivos dos alunos dessa modalidade de ensino em vestibulares e provas do Enem à eficácia do modelo pedagógico do Programa Estadual de Ensino Integral Escola Educa Mais, implantando em parceria com o ICE (Instituto de Corresponsabilidade pela Educação), Instituto Natura e Instituto Sonho Grande.

Conquistas importantes

Aprovada em primeiro lugar, no grupo em que concorreu, para o curso de Direito da Universidade Federal de Sergipe, a jovem Isabel Raiane, aluna do Atheneu Sergipense, ficou surpresa com a conquista, para a qual foi imprescindível “a ajuda dos professores”, salientou. “Não sei nem explicar o que senti. Foi incrível quando abri o resultado e vi meu nome aprovado. Eu já estava em primeiro lugar desde que me inscrevi no Sisu, mas sempre tinha uma expectativa de que o resultado poderia mudar. Eu estudava ao longo de todo dia no Atheneu e à noite no Pré-Universitário, no polo de Itaporanga, onde moro, e o integral fez toda diferença para mim”, contou.

Do Atheneu, também saiu a primeira colocação para o curso de Ciências Biológicas da Universidade de São Paulo (USP), conquistada pela estudante Alice Vitória Silva. No total parcial, alunos dos quatro Centros de Excelência já conseguiram aprovações em primeiro lugar em 16 cursos de universidades públicas em diversos estados do país. “O Atheneu conseguiu construir nos alunos, com o ensino de tempo integral, assim como ocorre nas demais escolas que implantaram esse modelo, um sentimento de pertencimento à escola. Aqui, nossa proposta de trabalho pedagógico é fazer com que os alunos atinjam seus sonhos e concretizem seus projetos de vida”, afirma o gestor escolar do Atheneu Sergipense, professor Daniel Lemos.

Coordenadora do Serviço de Ensino Médio do Departamento de Educação da Seduc, a professora Joniely Cruz explica que vários motivos, além do esforço dos alunos, levaram a esses resultados, “como a mobilização das escolas, o engajamento das equipes escolares, a proposta pedagógica voltada não apenas à aprovação dos estudantes, mas também à preparação destes jovens para que possam fazer suas escolhas bem orientadas, mediadas pelo projeto de vida, e professores comprometidos com a qualidade do ensino e focados na aprendizagem dos alunos, que são muito importantes em todo esse processo”, disse.

Em 2019

A coordenadora Núcleo Gestor de Educação em Tempo Integral destaca que, a partir do ano letivo 2019, saltará de 4 para 16 o número de colégios estaduais que farão a consolidação da implantação do modelo de ensino médio de tempo integral. As unidades escolares que iniciaram a implantação do Escola Educa Mais em 2017, ofertam este ano turmas das três séries do ensino médio em tempo integral. Do mesmo modo, as outras 25 escolas que iniciaram a implantação gradativa do modelo em 2018, com turmas de 1ª série, abrirão oferta, agora em 2019, para turmas de 2ª série”, explica a professora Mônica Rodrigues.

Segundo as diretrizes do Programa Escola Educa Mais, o modelo de ensino integral em implantação na rede pública estadual envolve uma proposta pedagógica diferenciada com foco no projeto de vida do estudante, para formar cidadãos autônomos, competentes e solidários, e ainda um modelo de gestão corresponsável, ofertando, ainda, formação continuada para as equipes escolares e estudantes.

Com a expansão do Escola Educa Mais em 2018, além dos 17 centros de excelência que iniciaram a implantação do modelo em 2017, mais 25 colégios estaduais, em todas as regiões do Estado, iniciaram também a implementação do Programa Estadual de Ensino Integral. Com isso, em 2018, mais de 6.400 estudantes se matricularam e estão cursando a última etapa da educação básica no modelo integral de ensino.

O modelo, concebido pelo ICE (Instituto de Corresponsabilidade pela Educação) – instituição parceira do Governo de Sergipe na implantação da modalidade Educação Integral – é orientado a partir do projeto de vida do aluno, que ao final da Educação Básica constitui e consolida uma forte base de conhecimentos e de valores e agrega à sua formação um conjunto amplo de competências que lhe permite continuar seu aprendizado nas várias dimensões de seu cotidiano, executando o seu Projeto de Vida.


Com a política de expansão do modelo de ensino em regime de tempo integral nas escolas da rede pública estadual, o Governo de Sergipe busca atender dispositivos previstos no Plano Nacional de Educação (Lei nº 13.005, de 25 de junho 2014) e no Plano Estadual de Educação (Lei Estadual nº 8.025/2015), os quais estabelecem que a Educação em Tempo Integral deve ser ofertada em, no mínimo, 50% das escolas públicas até 2024.